Desabafos p’las Annapurnas: I

O blog esteve parado, eu estive parada, no meio da rotina, das aulas e de Katmandu não tinha vontade de escrever.

Regressei, e em força.

Iniciei uma caminhada, esperava por isto desde que me lembro. Sabem aqueles sonhos que estão escritos algures em papel do que fazer antes de morrer? Pois bem fazer uma caminhada nos Himalayas era um dos meus maiores sonhos!

Partilharei com vocês excertos do meu diário, onde cada dia pela noite desabafava o que sentia e os frutos do dia.

Espero que gostem e acompanhem este percurso que foi um mais que um sonho e que vocês próprios se envolvam com a magia dos Himalayas.

10.10.2017

Hoje cada passo que dava era dado cheio de motivação, fui acolhida pela grandiosidade da Natureza e nunca tinha visto nada igual.

Estou tão feliz por estar aqui e tão realizada, atirar-me de cabeça para este trekking fez com que novas ideias surgissem, fez com que ganhasse ainda mais motivação para a viagem que aí vem, fez-me sentir que o destino guarda-me coisas maravilhosas e insistir na auto-realização vou crescer em cada experiência vivida.

Tenho o coração livre e recheado de boas energias. Dou por mim a sorrir para as montanhas, para as cascatas, para os animais e para o céu onde tenho lá os avós que olham por mim e me acompanham.

Sei que depois de uma subida vem algo maravilhoso, cada gota de suor, cada passo, cada dor muscular é a junção para um tipo de felicidade que por vezes está escondida e tende em ser difícil de ser encontrada.

Estou no meio da mãe natureza e não há nada mais puro que isto.

Eu e as montanhas!

Que montanha da vida é a minha!

Local: Danagyu

Km’s percorridos: 22km

Marta Geadas Durán

Leave a reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *